rmixme

quarta-feira, dezembro 31, 2008

PARA SEMPRE

Em 2009 quero poder arrepiar-me, comover-me, sorrir e dançar conforme o fiz no momento abaixo:


Video da actuação de Kylie Minogue a interpretar No More Rain (digressão X Tour) na cidade de Londres

Dos 5 grandes objectivos para 2008 (post de 5 de Janeiro de 2008) 3 foram concretizados com sucesso. Os outros dois ainda estão longe da sua concretização.
Para 2009 mantém-se os dois últimos e é acrescido este:


terça-feira, dezembro 30, 2008

Lembram-se?




Que saudades!

segunda-feira, dezembro 29, 2008

Rrr

Irrita-me abrir o jornal ou ver os telejornais na televisão e deparar-me com suposições dos meios de comunicação social. Refiro-me a casos como a possibilidade das manifestações violentas em Portugal, tendo como exemplo a Grécia.

Talvez haja alguma falta de notícias. Mas alimentar a fúria de manifestantes portugueses (como os professores) é no minimo revoltante. Será que esta gente não vive em Portugal?

quarta-feira, dezembro 24, 2008

FELIZ NATAL!

terça-feira, dezembro 23, 2008

Boombox

5 de Janeiro é a data de de lançamento do último álbum de Kylie Minogue, Boombox. Um disco remix com os seus principais êxitos 2000-2008 e o novo single Boombox. Uma música um pouco irritante mas que com insistência hei-de gostar.

Aqui fica um cheirinho de Boombox, o single.



Alinhamento:

1- Can't Get You out of My Head (Bootleg with New Order)
2- Spinning Around" (7th District Club Mental mix)
3- Wow (Death Metal Diva Scene mix)
4- Love at First Sight (Kid Crème Vocal dub)
5- Slow (Chemical Brothers mix)
6- Come into My World (Fischerspooner mix)
7- Red Blooded Woman (Whitey mix)
8- I Believe in You (Mylo mix)
9- In Your Eyes (Knuckleheadz mix)
10- 2 Hearts (Mark Brown's Pacha Ibiza Upper Terrace mix)
11- On a Night Like This (Bini & Martini mix)
12- Giving You Up (Ritron Re-Rub Vocal mix)
13- In My Arms (Sébastien Léger Vocal mix)
14- The One (Britrocka remix)
15- Your Disco Needs You (Casino mix)
16- Boombox (LA Riots remix)

Faixas Bónus na compra em formato Digital
17- Can't Get You out of My Head (Greg Kurstin 2007 mix)
18- Butterfly (Mark Picchiotti Sandstorm dub)

domingo, dezembro 21, 2008

Um dia excelente

Apesar de ter acordado tarde, ontem tive um dia em cheio.
Consegui arrumar e dar sol à casa, dar carinho aos meus gatos, passar uma bela tarde de Inverno na companhia da M. na zona que mais gosto de Lisboa, jantar com a família, dar um beijinho à vizinha que me viu nascer e que eu gosto tanto, conversar com o meu amigo A., navegar na internet e passar a madrugrada na companhia do P. e L. a dançar ao som de Kylie Minogue.
Só ficou mesmo a faltar o G., a L. e a cara metade, que anda por aí.
Obrigado a todos por serem quem são e de quem eu gosto tanto.

Depois deste dia pergunto, qual o motivo de tanto alarido por uma passagem de ano? Nessa data temos de estar todos felizes e contentes? A felicidade tem de estar programada?
"A minha passagem de ano" já foi. As 00:00 do dia 1 de Janeiro será apenas mais uma data em que eu tanto poderei estar feliz e contente como não.

sexta-feira, dezembro 19, 2008



Walking On A Dream
Empire Of The Sun


Walking on a dream
How can I explain
Talking to myself
Will I see again

We are always running for the thrill of it thrill of
it
Always pushing up the hill searching for the thrill of
it
On and on and on we are calling out and out again
Never looking down I'm just in awe of what's in front
of me

Is it real now
When two people become one
I can feel it
When two people become one

Thought I'd never see
The love you found in me
Now it's changing all the time
Living in a rhythm where the minutes working overtime

Catch me I'm falling down
Catch me I'm falling down

Don't stop just keep going on
I'm your shoulder lean upon
So come on deliver from inside
All we got is tonight that is right till first light

quinta-feira, dezembro 18, 2008

Será mesmo melhor sozinho?




Será por isto que sou tão mau em bricolage? Será o meu inconsciente a falar por mim? Infelizmente até hoje só tive sorte na instalação do serviço de internet, televisão e telefone. Não, não aconteceu nada do que está nas imagens. Apenas... não me importava ;)


So, do not it yourself!


terça-feira, dezembro 16, 2008

Kylie e os Coldplay juntaram-se recentemente para fazer um single de apoio ao Dia Mundial da Sida. Desta forma, fizeram parte da Red(wire), revista de nova música digital que foi criada com o objectivo de irradicar a sida em África. Mais informações em http://www.redwire.com/

Aqui fica o single.



Lhuna
Kylie & Coldplay

segunda-feira, dezembro 15, 2008

Apesar do mau video, gosto da nova versão de Bem Bom do "grande maluco" Reininho.


Bem Bom
Rui Reininho

domingo, dezembro 14, 2008

Gozem à vontade!

Depois do ódio por mim mesmo, chegou a vez de gozar com o meu blog.

Aqui fica "um gozo" dos anos 90. (Lembrei-me ao fazer zapping agora mesmo pela RTP1).


Devora-me
Tayti

sábado, dezembro 13, 2008

DVD X Tour

Desculpem! Mas depois de uns dias terríveis mereço saber desta notícia. Afinal, estive lá.


Kylie

sexta-feira, dezembro 12, 2008

Bem, vou para casa.

video

quinta-feira, dezembro 11, 2008

Ódio Próprio

Hoje odeio-me.
Sou uma besta, um anormal, um estúpido, um burro, uma pessoa que parece que nem tem estudos e que vive há dois séculos atrás.

Gossip Girl

Mais uma série da qual sou viciado. Mal posso esperar pela 2ª série.

quarta-feira, dezembro 10, 2008

Boombox


Boombox


Boombox


5 de Janeiro de 2009

terça-feira, dezembro 09, 2008

The Other Side

What will one day
Become of us
We'll grow as grass under their feet
No one here will ever know your name
And you still lie there next to me

If it takes another life
I'll wait for you
On the other side
Everything that comes to me
As good
Belongs to you
I'll count our blessings as I
Wait for you
On the other side
Good luxk and I will see you through

Get used to this
Your're going to be alright
The world goes on with or without me
If I don't ever leave a thing behind
I'll still leave you without me



The Other Side
Scissor Sisters

domingo, dezembro 07, 2008

Amália

Confesso que não esperava muito pelo filme Amália, o filme de Carlos Coelho da Silva. Uma biografia, ainda que livre, pode ser muito subjectiva. Para além disso, penso que um realizador (neste caso) deve encontrar um mundo de portas fechadas ao decidir "vasculhar" o passado de outrém. O que pode colocar em causa o trabalho a realizar.
Ainda assim quis ir ver o filme.
Amália, o filme tem um sem fim de personagens masculinas pouco credíveis e muito previsiveis. Tem uma boa banda sonora, como seria de se esperar. Uma boa interpretação de Sandra Barata, Carla Chambel e Ana Padrão. E muitos momentos fracos ao longo do filme. Momentos esses marcados pelo rumo da estória, pela escolha dos actores, pela realização de algumas cenas e pela figuração de algumas personagens.
Um filme, que apesar de tudo, gostei de ver.


quarta-feira, dezembro 03, 2008



Life After Sundown
Glass Candy

terça-feira, dezembro 02, 2008

Na Fronteira do Amor

Eu conheci-te por acaso
Ter alguém ou não isso não interessava
Comecei a gostar de ti
Quis que fosses embora
O tempo passou e eu quero-te de volta
Responde às minhas mensagens
Eu amo-te!
Não me interessa as diferenças
Eu quero-te hoje!
Eu amo-te, por mais que o tempo passe.
Ouve o meu inconsciente. Eu só agora o ouço.
Vou ter contigo. Espera por mim.

Adaptado, Fronteira do Amanhecer, de Philippe Garrel


Uma actriz de uma beleza longinqua enlouquece ao amar perdidamente um fotógrafo.
Todos os pormenores encaixavam numa obra prima. Até que acontece uma tragédia e a estória muda de rumo.
Nesta nova fase, o fotógrafo conhece uma felicidade feita à pressa que acaba por descaracterizar tudo o resto. Há ainda a tentativa de reencontrar a beleza inicial do filme mas sem sucesso. O fim torna-se pois, previsível.

Um filme a ver, mais que não seja pela primeira hora do filme.


segunda-feira, dezembro 01, 2008

Apesar de gostar, concordo com a critica abaixo

Safe Trip Home, Dido
Davide Pinheiro

Princesa da música sem sal, Dido troca-nos as voltas e transmite sinais à Terra de querer mudar a órbita da sua rota. A presença do comandante Brian Eno não é inocente.

Em «Safe Trip Home», a noção de espaço corresponde a uma viagem inter-estelar. Ouvem-se as respirações e o silêncio. Cada som tem exactamente uma função. Nem parece que estamos a falar de Dido, uma das princesas de uma nova música de elevador, pouco mais que competente na função de wallpaper.

Mas esta viagem é diferente. Claro que não é um «Music for Airports», de Eno e Fripp, porque o formato canção é obrigatório mas as imagens sugeridas são como pinturas abstractas de interpretação lata. «Safe Trip Home» respira tranquilidade e beleza. Chega mesmo a ser sedutor (como em «Never Want To Say It´s Love»).

Criado sem pressões, «Safe Trip Home» não sofre da necessidade de igualar os milhões de «No Angel» (1999) e «Life For Rent» (2003). De resto, nasce de um período sombrio na vida de Dido, condicionado pela morte do pai em 2006. Todos aqueles que defendem que a dor pode ser criativa vêm a sua tese reforçada.

Não está aqui a salvação do mundo mas não deixa de ser curioso que num momento de crise retalhista, um dos best sellers se situe num planeta tão afastado da Terra. O bónus para os mais cépticos é a presença de mestre Brian Eno. Dido transferiu-se para outra liga, mais exigente, e adaptou-se com facilidade.

in diariodigital.pt