rmixme

terça-feira, setembro 30, 2008

If I don't believe in love nothing is safe for me...

3 de Novembro

segunda-feira, setembro 29, 2008


Remedios
Gabriella Ferri

domingo, setembro 28, 2008

"Meninas"

Parece impossível que o meu blog vai dar "tempo de antena" a travestis.
Quem me conhece, sabe que pouco ou nada ligo a este "tema". Contudo, pela primeira vez vi, ao vivo, um travesti a actuar bem. De facto nunca fui de propósito a nenhum sitio para ver a actuação de travestis e, por isso, posso "pecar" por só agora dizer que vi uma actuação bem feita. Mas é um facto.
Jenny Larrue destaca-se de longe de todos os travesti que vi até hoje a actuar nas noites da Grande Lisboa, Porto e Leiria.
Já a tinha visto outrora no Maria Lisboa. Contudo, só depois da fulgurante entrada na abertura do Queer 2008 no cinema S. Jorge e ontem na big party de encerramento do mesmo festival, no Maria Lisboa, ela se evidenciou aos meus olhos.

Até já vi actuações razoáveis de travestis mas todos eles gostam de se exibir e mexer exageradamente, não dançando sequer ao ritmo das músicas. Algo que Jenny Larrue não o faz. Simplesmente faz um playback bem feito e dança. E é nessa simplicidade, aliado a um corpo bem feito, que esta menina se destaca.

sábado, setembro 27, 2008

A Verdadeira Amizade

Ontem tive a oportunidade de ver o melhor filme do ano no Queer Lisboa 2008. Obviamente, o melhor o filme que vi no Queer ao longo destes últimos três anos.

Excelente banda sonora
Excelente história
Excelente cenários
Boas interpretações
Drama e comédia sem fim
E um final... maravilhoso



Saturno Contro
de Ferzan Özpetek

sexta-feira, setembro 26, 2008

Diesel SFW

quinta-feira, setembro 25, 2008



I'm Good, I´m Gone
Lykke Li

terça-feira, setembro 23, 2008

If I don't believe in love is good for me...


3 de Novembro de 2008

domingo, setembro 21, 2008

Os Pais

Após ter visto a curta-metragem Soma dos Dois de João Lascas, Kamy Lara e Ruben Caldeira foi impossível não ter ficado a pensar no sofrimento dos pais após a perda de um filho.
O que acontece aos nossos pais se de repente ficarem sem o filho? Que segredos poderão descobrir depois da sua morte? Como se irão martirizar por descobrir que nada sabiam da vida dele? Como irão lidar com a situação ao descobrir que o filho era gay, por exemplo? Será o sentimento de perda substituído pelo de revolta e raiva?

Afinal o que sabem os nossos pais de nós, hoje em dia? Será certo eles ficaram tão distantes da nossa vida?
Queremos tê-los por perto pois o amor fala mais alto. Por amor aos nossos pais acabamos por esconder coisas que sabemos que lhes vão fazer sofrer. Mas não sofrerão mais se vierem a saber que nunca confiámos o suficiente neles?

Nesta fase menos feliz por que passo, os meus pais assumiram uma importância muito significativa. Com o meu amadurecimento comecei a olhar os meus pais de outra forma. Comecei a amá-los como nunca os amei antes. Até mesmo o meu pai, que sempre fiz questão de dizer que não gostava dele durante toda a minha infância e adolescência. Comecei a compreendê-los e a amá-los tal e qual como são.
Afinal, os pais estão sempre connosco ao longo da nossa vida até que a morte nos separe.

terça-feira, setembro 16, 2008

O Pós Sticky & Sweet

A todos os concertos que assisto, gosto sempre de ler as criticas nos dias seguintes. O concerto de Madonna não foi excepção.
Após a visualização dos telejornais e a leitura de vários jornais, sites e blogs, confesso que fiquei inquieto.

Começando pelo público, acho incrível dizerem que o recinto da Bela Vista não é apropriado para um concerto. Ainda bem então que os Rock in Rio não são lá.
Se me dissessem que o espaço não está preparado para 75.000 pessoas a assistir ao mesmo concerto, já seria aceitável. Contudo, discordo. Se fosse um espaço plano, aí sim seria impossível. Visto ser um espaço acidentado, em que a parte mais baixa se encontra junto ao palco, dá uma perfeita visão à medida que nos afastamos do recinto.
Depois ainda há os que se queixaram de não verem nada. Eu cheguei na hora da abertura de portas e fiquei num óptimo lugar. Só não fiquei mais à frente pois a pessoa que me acompanhava era mais baixa que eu, e quanto mais longe do palco, melhor ela via, devido ao terreno. Se as pessoas chegaram à hora do concerto, não podem esperar milagres.

Agora o que me deixou mais preocupado, o "jornalismo"/critica.
Li jornais como o Público ou o Correio da Manhã e reparei em informações contraditórias no próprio jornal e várias que são mentira. Na descrição do concerto, é dito pelos fãs que a Madonna não cantou a música que queriam ouvir, Like a Virgin (verdade). Mais à frente, dizem que Madonna cantou também músicas do seu início de carreira como Like a Prayer e Like a Virgin. Estas e outras informações erradas li eu em sites e jornais. O que me faz perguntar que jornalismo é este? Quantas mentiras dirão os sites e jornais que nós não sabemos, visto não estarmos no sítio onde acontece a notícia?
Como é possível algumas pessoas e imprensa falarem mal do concerto mas ninguém ter mencionado o facto de ter faltado a voz a Madonna?
Também há situações inventadas em blogs, mas que prefiro nem comentar.
Parece-me estranho mentirem de forma negativa e não falarem a verdade de situações negativas, como a falta de voz ou a antipatia de Madonna (ainda sim bem menor, do que em 2004), entre outras, eventualmente.

Enfim, sinto-me triste por tanta falta de verdade de tantas pessoas e entidades.


Intro / Candy Shop
Madonna

segunda-feira, setembro 15, 2008

Sticky & Sweet Tour em Portugal

Posso começar por dizer que esta é a discrição/opinião de um concerto a que assisti mais dificil de fazer. Peço desculpa pelo mau português das frases mas torna-se dificil a organização de ideias.

Posso também começar por dizer que este concerto em nada teve a ver com a digressão Reinvention, que trouxe Madonna a Portugal, pela primeira vez.

Para mim, este foi o concerto que esperava de Madonna. Este foi o Concerto da chamada diva da pop. Perfeição como esta será dificil de ultrapassar.

A poucos meses do concerto estive para vender o bilhete, tal foi a desilusão ao ouvir o último álbum de Madonna e a lembrança do concerto dado em 2004. Mas após insistências de colegas de trabalho, entre outras siuações, lá decidi ir assistir ao concerto. E ainda bem que o fiz, pois até mesmo as músicas do último álbum tornaram-se razoáveis/boas.

Acreditem que não consigo mesmo dizer o que gostei mais.
A parte cénica de Music e as várias músicas espanholas estavam irrepreensíveis. Like a Prayer levou tudo e todos ao rubro numa versão rock bem conseguida. Heartbeat foi a música do novo álbum que mais gostei de ouvir. Give 2 Me, a melhor música do último álbum, desiludiu ao ser cantada com uma nova versão no encerramento da Sticky & Sweet Tour. Into the Groove teve a melhor coreografia. Candy Shop a maior extravagância ao abrir o concerto. Get Stupid lançou a boa polémica com videos de quem Madonna condena e apoia. Em She's Not Me Madonna ironizou consigo própria, ao ter quatro manequins humanos vestidos de si própria em início de carreira. Rain trouxe a magia da chuva e da trovoada à Bela Vista.
Desilusão só mesmo no encerramento com Give 2 Me. Poderia ser o final em apoteose e não o foi por ter sido a única música do último álbum a ser alterada.

Muito mais há para dizer mas é impossível descrever toda a beleza deste espectáculo. Não tinha tão boas músicas como a Reinvention Tour mas Sticky & Sweet Tour tem um espectáculo 500% superior à digressão que trouxe Madonna a Portugal em 2004.



Heartbeat
Madonna


P.S. - Em Ray of Light, já perto do final do concerto, Madonna ficou sem voz. O seu calcanhar de Aquiles mantém-se no final dos concertos mas ninguém quer saber disso. Afinal, trata-se de Madonna.

domingo, setembro 14, 2008

Em Lisboa...

As tardes de final de Verão ainda continuam a ser aquilo que eram
Ainda têm calor e sabor
Têm...turistas
Sítios magnificos (alguns já divulgados neste blog)
Pessoas educadas
Boas lojas
Boa comida
Qualidade de atendimento
Turistas simpáticos
Boas vistas
...

Vivam Lisboa de dia e descubram aquilo que não é do conhecimento de todos.

sexta-feira, setembro 12, 2008

Nos Cinemas

A solidão constante leva-nos a arriscar
Contudo, o risco para quem não sabe pode custar-nos a própria vida

A fidelidade cega pode levar-nos a aperceber que nunca nos permitimos decidir

O amor obsessivo mas sempre retraído pode levar-nos a cometer actos de loucura

A fama pode tornar-nos vulneráveis, levando-nos a um beco sem saída

Felizmente alguém aqui sai vitorioso.


O Ar Que Respiramos, de Jieho Lee, com Andy Garcia, Brendan Fraser, Kevin Bacon e Sarah Michelle Gellar, em exibição no Saldanha Residence e Alvaláxia, em Lisboa.

quinta-feira, setembro 11, 2008

quarta-feira, setembro 10, 2008

O Teatro da Vida

No final do Verão começa a surgir o deserto
As pessoas tomam o seu ritmo
E eu deparo-me com a calmaria ao jeito do agri-doce
O calor abrasador cala os problemas do costume

Os felinos dão-se e eu recebo-os
A família preenche cada vez mais o seu espaço
E todas as outras pessoas seguem a sua vida

Os casos de polícia são por mim abafados
Não quero saber de possíveis psicopatas
Até já me esqueci

Alegria na negação da doença
Tristeza pelas mazelas contiuarem a dar de si

Mas sobra tempo...
Ainda sobra muito tempo para tu regressares.

terça-feira, setembro 09, 2008

Estreia a 25 de Dezembro...


AUSTRÁLIA


de Baz Luhrmann



Após o já longínquo mas inesquecível Moulin Rouge, o realizador australiano estreia brevemente o seu novo filme. Uma vez mais, conta com Nicole Kidman num dos principais papeis, que por sua vez é acompanhada por Hugh Jackman.

Espero ansiosamente pela estreia deste épico.


Lady Marmalade
Christina Aguillera, Missy Eliot, Pink, Maya

quarta-feira, setembro 03, 2008

Gatos!

video

terça-feira, setembro 02, 2008

Quem vem?

Assumo o comando de outros
Tomo conta da minha vida agora que é só minha

Mas sob o olhar dos felinos fico teu refém
Fico à espera da tua mão estendida
Acalmo os meus desejos

Ainda penso na hipotese teatral da coisa
Ando atrás

Procuro apenas o que é bonito aos meus olhos

segunda-feira, setembro 01, 2008

Sem titulo, Sem nome

E assim aconteceu o que mais temia...
E agora como será a minha reacção?
Pois não sei...
Não sei lidar com falta de respeito
Não sei lidar com promessas falhadas

Andava eu com sentimentos de culpa
Deixei de o fazer para não fazer o que me fizeram

Hoje aprendi que mesmo ninguém nos merece
Grande desilusão!

Espero ter força para não falar.